O cantor e lenda Ozzy Osbourne ganhará uma cinebiografia e sua esposa e empresária Sharon Osbourne garante que será um filme para adultos e não uma coisa “limpinha” como Bohemian Rhapsody, sobre Freddie Mercury e o Queen e que ganhou o Oscar de Melhor Ator para Rami Malek.

Falando com a Rolling Stone, Sharon deixou claro:

Nosso filme será muito mais real. Não queremos que seja limpinho e brilhante e tudo aquilo. Não estamos fazendo para as crianças… É um filme adulto para adultos.

A empresária ainda comentou que entende a opção do Bohemian Rhapsody ser voltado para o grande público e para uma geração que nunca ouviu o Queen, mas critica o modo como o longa distorceu a verdade (e a linha do tempo) para acomodar uma história que, no fim das contas, não vai fundo nos problemas de Mercury e trata tudo com algum leveza, focando na música mais do que tudo.

Não acho que seja um grande filme.

A revista afirma que a produção está em desenvolvimento, com um roteirista trabalhando no texto e produção do filho do cantor, Jack Osbourne, que tem uma produtora cinematográfica. O longa irá se concentrar entre os anos de 1979 e 1996, cobrindo a carreira solo do cantor e, principalmente, sua relação com Sharon e sua luta para ficar limpo das drogas e do álcool. Não há um nome escalado para protagonizar.

Ozzy Osbourne of Black Sabbath performs at Ozzfest 2016 at San Manuel Amphitheater on September 24, 2016 in San Bernardino, Calif. (Amy Harris/Invision/AP)

Perguntando ao próprio “lorde das trevas” sobre o filme, Ozzy foi direto:

Não me pergunte nada sobre isso. Minha família está envolvida e eu digo para minha esposa: “boa sorte”. Para conseguir fazer meus três filhos concordarem em alguma coisa, você tem que acordar bem cedo da manhã.

Perguntado sobre a trama, Ozzy revela:

É sobre Sharon e eu, e nosso relacionamento. Como nos encontramos, nos apaixonamos e nos casamos. Ela cresceu um bocado comigo e eu cresci um bocado com ela. Celebramos 38 anos de casados recentemente.

Sharon complementa que será um filme não necessariamente voltado para o lado musical:

Você não precisa ser um fã da música, porque é uma história sobre um sobrevivente: não importa o que a vida jogue em cima de você, você se remonta e começa de novo.

Sem dúvidas, a biografia de Osbourne daria um grande filme!

John Michael “Ozzy” Osbourne nasceu em 03 de dezembro de 1948 em Aston, em Birmingham, na Inglaterra, e apesar de uma alta disléxia que o fez ir muito mal na escola, desenvolveu forte vínculo com a música e começou a cantar, sendo o fundador da banda que viria a se chamar Black Sabbath, cujo disco de estreia em 1970 já fez sucesso. Com um hard rock sombrio marcado por grandes passagens na guitarra, o Sabbath ajudou a criar a estética associada ao heavy metal, o que vincula Ozzy ao subgênero.

Saindo da banda em 1978, que prosseguiu sem ele, Osbourne estabeleceu uma carreira solo de sucesso, especialmente nos Estados Unidos, onde foi a ponta de lança do movimento de renovação do rock pesado e do heavy metal nos anos 1980.

Ele conheceu e namorou Sharon Levy, que era a filha de seu empresário, Don Arden, um homem rude, grosseiro e abusivo, que gerou muitos problemas à vida pessoal do cantor e de sua filha. Arden foi o maior responsável por Osbourne deixar o Black Sabbath, em 1978, e depois do episódio, Ozzy terminou por começar a namorar com Sharon Levy e ela assumir o comando da carreira dele.

Ozzy e Sharon Osbourne na entrega do Oscar.

Isso foi o gatilho para uma série de problemas, já que Arden não aceitava que sua filha tivesse “lhe tomado” a carreira de Ozzy, o que levou o empresário a toda a sorte de ações sórdidas para impedir que Ozzy e Sharon continuassem juntos, inclusive, tentar matá-la, o que levou a um rompimento definitivo com o pai, que jamais conheceu os filhos do casal e terminou por morrer vítima de Alzheimer no início dos anos 2000 – inclusive, Sharon pagou pelo tratamento dele nos anos finais de sua vida.

A década de 1980 viu Ozzy chegando a um sucesso maior do que o que teve com o Black Sabbath, mas ao mesmo tempo, via o cantor envolto em muitos problemas causados pelo abuso de drogas e álcool, que o deixaram perto da morte várias vezes.