iron maiden from bbcO HQROck noticiou dias atrás que a banda britânica Iron Maiden, lenda do heavy metal tradicional britânico, perdeu um processo de plágio empreitado por uma desconhecida banda inglesa dos anos 1970, Beckett, que acusou (e venceu) o grupo de plagiar parte de sua letra em Life’s shadow no hino da donzela de ferro de 1982, Hallowed be thy name. Agora, mais detalhes sórdidos vêm à tona: o compositor Brian Quinn que moveu o processo foi orientado por ninguém menos do que o ex-empresário da banda de metal, Barry McKay, que afirma que o baixista Steve Harris e o guitarrista Dave Murray, os compositores do Maiden, não escrevem “sozinhos” as canções que os fizeram famosos.

Segundo McKay, Harris e Murray plagiaram outros músicos em outras canções, mas não querem admitir isso. E ainda avisa que ao se recusarem a pagar o compositor Brian Quinn em primeira instância, perderam não somente o valor do processo – que foi de 120 mil euros – como também muito mais dinheiro por causa das custas do processo. O ex-empresário diz que o acordo fora dos tribunais que o Iron Maiden fez com Quinn não foi uma vitória, mesmo que nos tribunais os reis do metal iriam pagar muito mais. Ainda assim, diz McKay, se tivessem feito um acordo de 250 mil euros no início do processo, teriam economizado 600 mil euros em advogados.

Por fim, McKay também acusou Harris, Murray, os atuais empresários da banda, Andy Taylor e Rod Smallwood e o restante do Iron Maiden de ganharem às custas de músicos menos famosos aos quais plagiaram ao longo da carreira.

Processos por plágio não são raros no mundo do entretenimento, porém, as acusações de Barry McKay são graves. Veremos novos episódios como o atual se movendo contra a donzela de ferro?