Segundo o Box Office Mojo, Aquaman, a aventura do herói submarino da DC Comics, arrecadou até ontem US$ 666 milhões em bilheterias, ultrapassando, em um mês, a arrecadação total de Liga da Justiça, do ano passado, que fez 657 milhões.

O filme de James Wan e estrelado por Jason Momoa está agradando público e crítica, com uma aventura descompromissada narrando a história de Arthur Curry quando é chamado a assumir a responsabilidade pelo povo submarino do qual descende, mas sempre evitou contato.

Leia a Resenha do HQRock sobre o filme clicando aqui!

O site Deadline prevê que Aquaman irá atingir US$ 750 milhões ao fim deste fim de semana, o que começa a apontar a possibilidade do longa chegar à marca de 1 bilhão de dólares, feito que nenhum dos outros filmes da DC Comics conseguiu. Sucessos como Mulher-Maravilha e Batman vs. Superman – A Origem da Justiça chegaram até a marca de 800 milhões.

Mas Liga da Justiça é um bicho de outra natureza. Uma série de problemas na produção e, principalmente, um conjunto de decisões equivocadas do próprio estúdio – que deveria ter adiado o lançamento para poder finalizar melhor o filme – levaram ao fracasso de público e crítica daquele que poderia ter sido a grande virada da DC Comics no cinema. Afinal, pensando por alto, imaginar uma aventura cinematográfica reunindo Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Flash, Ciborgue (e quem sabe o Lanterna Verde?) teria absolutamente tudo para estourar na telona e ser um sucesso sem precedentes.

Não foi. E a culpa é da Warner! (Saiba por que aqui!)

O sucesso de Aquaman – visto como uma novidade (mesmo tendo feito uma minúscula participação em Batman vs. Superman e sendo um dos protagonistas de Liga da Justiça) – deve incentivar os executivos da Warner a investir ainda mais em personagens do “segundo escalão” da DC em busca de atingir esse sucesso “fresco”. A estratégia já vinha em curso: Shazam! vai estrear em fevereiro próximo e está em produção efetiva um filme sobre as Aves de Rapina/ Birds of Prey, uma equipe de heroínas, como Canário Negro e Caçadora, ao lado da vilã Arlequina, que já apareceu em Esquadrão Suicida.

Porém, na mesa da Warner estão projetos ainda mais obscuros, como Zatanna, Besouro Azul e Homem-Borracha; ao mesmo tempo em que o estúdio vai deixando na gaveta Superman, Flash e Lanterna Verde que, é muito provável, não darão as caras tão cedo. O Batman – a propriedade mais valiosa do estúdio – é a exceção e o novo filme solo escrito e dirigido por Matt Reeves está em acelerada produção: a primeira versão do roteiro já foi entregue e agradou ao estúdio; a segunda versão deve ser entregue de hoje para amanhã; e as filmagens devem ocorrer no meio do ano que vem.

Se será uma sequência aos eventos de Liga da Justiça ou uma aventura de um Batman mais jovem; se será estrelado por Ben Affleck ou por um novo ator; são dúvidas ainda sem resposta.

Enquanto isso, Arthur Curry domina os oceanos.