Por essa todos esperavam. Após emplacar 23 filmes de sucesso em 11 anos, o presidente do Marvel Studios, Kevin Feige foi promovido pela companhia-mãe The Walt Disney Company. Segundo o Deadline, Feige assumirá o cargo de Chief Creative Offices, algo como Diretor de Criação de toda a Marvel, o que inclui não somente o cinema, mas também TV, animações e quadrinhos!

Segundo o site, Feige continuará como presidente do Marvel Studios, mas agora, também supervisionará toda a produção criativa da Marvel, o que lhe faz – na prática – a cabeça de toda a companhia.

Dentro da hierarquia reestruturada da empresa, tudo começa com o CEO da The Walt Disney Company, Bob Iger, ao qual respondem o Diretor Criativo da Walt Disney, Alan Horn, e o copresidente Alan Bergman. Abaixo desses dois níveis, está Kevin Feige agora.

O restante da hierarquia da Marvel continua do jeito que está até segunda ordem. O presidente da Marvel Entertainment – originalmente, a empresa-mãe de todos os produtos Marvel – continua sendo Ike Pelmutter, e o Diretor da Marvel continua sendo Dan Buckley. Joe Quesada parece que continua como Diretor Criativo da companhia.

Daí vem as subcompanhias – Comics, TV, Animation – cada qual com suas chefias. A que mais chama a atenção do Deadline é a Television, porque há dúvidas se do presidente Jeph Loeb se manterá no cargo. Famoso como escritor de quadrinhos, Loeb se notabilizou na televisão produzindo séries como Lost e Smallville, o que o levou à presidência da Marvel TV. Aí, emplacou alguns sucessos, mas também alguns fracassos. Nos últimos tempos, os esforços da companhia vêm diminuindo, com Agents of SHIELD programada para terminar e com menos produtos na praça.

Um movimento corporativo desses não passa imune e não deve demorar a haver mudanças criativas na Marvel.

Ademais, é o coroamento da carreira de Feige, que emplacou sucesso após sucesso à frente da divisão de cinema.

Mas não deve vir sem tensões. Kevin Feige (que nasceu em Boston, em 1973 [tem apenas 46 anos!], foi criado em Nova Jersey e estudou cinema na Universidade do Sul da Califórnia) começou sua carreira trabalhando com a produtora Laureen Shulen-Donner em filmes como Vulcano e Mensagem para Você, até que a produtora assumiu os primeiros filmes dos X-Men. Sabendo do conhecimento que Feige tinha do Universo Marvel, Donner o transformou em produtor associado de X-Men – o Filme, que chegou aos cinemas em 2000. O resultado impressionou tanto Avi Arad, o presidente do Marvel Studios, que este o contratou naquele mesmo ano e o transformou no segundo em comando da empresa.

Um jovem Ike Perlmutter nos anos 1980 e Avi Arad nos dias de hoje.

Avi Arad fora o fundador do Marvel Studios e também era um dos donos da Marvel Entertainment por meio de sua empresa de brinquedos, a ToyBizz. O feudo era dividido com o mesmo Ike Perlmutter que continua no comando da empresa até hoje.

Mas Arad e Pelmutter tiveram grandes desacordos sobre a questão do cinema, pois a Marvel queria produzir os próprios filmes, algo que Arad não queria. Feige se tornou um defensor da ideia também e o Marvel Studios começou seu plano de produção independente em 2005. No fim das contas, Arad deixou a presidência da empresa em 2007, e ficou responsável apenas pelos filmes do Homem-Aranha junto à Sony Pictures, enquanto Kevin Feige se tornou o presidente do Marvel Studios.

O primeiro filme autoproduzido do Marvel Studios, Homem de Ferro, de 2008, foi um grande sucesso, já lançando a ideia de um Universo Marvel integrado – mesmo que naquele tempo a distribuição dos filmes ainda estava dividido entre dois estúdios: a Paramount e a Universal. Mas o sucesso – e a ideia – animou o suficiente a Disney, que mirando também nos outros sucessos da Marvel que não eram autoproduzidos (como Homem-Aranha e X-Men), comprou a Marvel Entertainment (empresa mãe do Studios), em 2009.

Porém, o Studios era submetido à Entertainment e mais rusgas apareceram. Perlmutter criara um Comitê Criativo para supervisionar os filmes, formado quase inteiramente pelos principais escritores da Marvel Comics, liderados por Joe Quesada – então Editor-Chefe da Marvel Comics – e o escritor Brian Michael Bendis. O Comitê começou a entrar em choque com Feige por motivos criativos.

O MS acertou em cheio com Os Vingadores em 2012, mas este filme teve um início problemático: a direção seria de Jon Favreau (o mesmo dos dois primeiros Homem de Ferro) e o roteiro seria de Zack Pehn (de Hulk, de 2003); mas seja pela ação de Feige ou do comitê (isso nunca ficou claro), a fila andou para Joss Whedon assumir ambas as funções.

Ike Perlmutter nos dias de hoje.

A imprensa costuma creditar o (relativo) fracasso de Homem de Ferro 3 (o filme fez 1 bilhão nas bilheterias, mas não agradou aos fãs) e Thor – O Mundo Sombrio, ambos lançados em 2013, e como uma reação a isso, o CEO da The Walt Disney Company determinou a extinção do Comitê e, não somente: o Marvel Studios deixou de se reportar à Marvel Entertainment, passando a responder diretamente à direção da Disney. Ou seja, na prática, se tornou uma empresa autônoma.

O resultado todos sabem. Sucesso. Sucesso. Sucesso.

Perlmutter continua com seu cargo e é um homem peculiar: segundo uma reportagem do The Telegraph, de 2015, Perlmutter é um homem recluso, pouco visto, pouco fotografado e que nunca deu uma entrevista! A única imagem conhecida dele era a de um jovem empresário em 1985. Ele compareceu à estreia de Homem de Ferro em Los Angeles, em 2008, usando uma peruca e bigode falsos e não foi reconhecido!!! Nos últimos anos, surgiram outras duas fotografias do empresário, que apareceu em atos de apoio a Donald Trump.