Mais um capítulo da novela #releasesnydercut, mas os fãs adoram! Após muitos nomes da indústria de cinema aderirem à campanha pelo lançamento da versão do diretor Zack Snyder para Liga da Justiça – que saiu em 2017 a partir da visão de outro diretor – e as notícias chegando de que o lançamento não iria acontecer e a Warner Bros. não tem nenhum interesse na obra; novas questões estão chegando via uma bombástica reportagem da revista Forbes. Segundo eles, a tal versão existe, está 90% pronto, não custaria muito ao estúdio e ainda pode acabar sendo lançada na plataforma de streaming HBO Max.

Segundo a Forbes, há um contexto nessa operação: há alguns anos, o grupo Time-Warner foi vendido à AT&T e as mudanças estão chegando, com um novo CEO assumindo a chefia da Warner Bros. Pictures: Ann Sarnoff. A revista sugere que a antiga administração do estúdio criou uma relação tensa com Snyder e seus filmes, mas que os novos executivos não guardam tal ranço e que vêm algumas vantagens nesse lançamento.

A reportagem afirma que a antiga chefia da Warner instigou pessoas da imprensa a publicarem notícias de que não existia a tal versão de Snyder: que um corte bruto foi realizado para ser exibido aos executivos, mas era uma peça muito rudimentar, muito longe de um filme inacabado. Mas a Forbes é categórica: o corte de Snyder existe sim e está 90% pronto. Isso inclui filmagens, som e efeitos especiais.

Com isso, é inevitável que tal filme termine sendo lançado e o melhor canal para isso seria o streaming HBO Max, que será lançado em maio de 2020.

A reportagem faz até um balanço das críticas negativas da Liga da Justiça que chegou aos cinemas em 2017 – em par com a recepção dúbia e insatisfeita dos filmes anteriores de Snyder – e no que a nova versão do filme poderia acrescentar em tal contexto. No mínimo, concluem, serviria como propaganda aos filmes vindouros, que ainda lidam – de um modo ou de outro – com o continuum criado naqueles velhos filmes. E caso aja críticas negativas à versão de Snyder, isso não fará diferença à versão que já foi lançada e às visões anteriores.

Até agora, o tom das notícias sobre a Snydercut era a de que não havia nenhum interesse da Warner no produto, afinal, Liga da Justiça foi um fracasso colossal do ponto de vista de expectativa e dinheiro, e seria compreensível os executivos não terem interesse em gastar mais para lançar uma nova versão. (Sim, gastar mais, porque envolveria finalizar o filme, especialmente, nos efeitos especiais, ou seja, alguns milhões de dólares).

Mas a Forbes garante que Snyder e sua equipe continuaram a trabalhar em sua versão mesmo após o corte bruto de exibição e que, então, chegou a concluir 90% do filme. Isso encurta o caminho à divulgação. E com a mudança dentro da Warner, talvez um cenário mais convidativo.

A Forbes (especialista em negócios e finanças) diz que a Warner só tem a ganhar com o lançamento de Liga da Justiça de Zack Snyder, pois pode render a satisfação de uma parcela significativa dos fãs, uma nova visão sobre um filme que não foi bem em bilheterias, e ainda, completa a visão de um cineasta respeitável que, num processo ruidoso, terminou afastado do filme que idealizou. E seria um imenso chamariz para o lançamento da HBO Max. Muita publicidade grátis.

Após lançar Superman – O Homem de Aço e Batman vs. Superman – A Origem da Justiça, Zack Snyder gravou Liga da Justiça em 2016 como um projeto de dois filmes, porém, ao assistir um corte bruto do longa, os executivos da Warner o consideraram inassistível e, ressabiados pelas (grandes) críticas negativas dos longas anteriores, decidiram pela demissão de Snyder.

“Aproveitando-se” do suicídio da filha do diretor naquela mesma época, no início de 2017, a Warner usou isso como desculpa para o afastamento de Snyder (a confirmação da demissão só veio no ano posterior ao lançamento) e contratou Joss Whedon (de Os Vingadores) para fazer uma nova versão. Porém, o estúdio se negou a mudar a data de estreia, para novembro de 2017, e o filme foi lançado meio inacabado, pondo fim à reputação do grupo, manchando o nome da Warner, da DC Comics e de Whedon, que não conseguiu filmar sua versão.

Desde o lançamento, que resultou em críticas negativas unânimes, os fãs pedem para ver a versão original de Snyder.