2020 é ano eleitoral nos Estados Unidos e o presidente Donald Trump tentará ser reconduzido ao cargo. O uso de canções dos Rolling Stones por sua campanha, no entanto, está incomodando a banda, que anunciou publicamente que irá processar o empresário caso persista no uso indevido das músicas.

A banda divulgou uma nota sobre o caso, anunciando que também notificou a BMI, organização responsável pelo direito de uso de canções nos EUA. A nota diz:

BMI foi notificada que a se campanha de Trump persistir no uso não-autorizado de suas [dos Rolling Stones] canções constituirá uma quebra dos acordos de licenciamento. Se Donald Trump descumprir a proibição [do uso das canções] e persistir, então, ele enfrentará um processo judicial por quebra de acordo e por tocar música que não foi licenciada.

Trump já tinha usado indevidamente canções dos Rolling Stones na campanha de 2016 e também fora advertido pela banda na ocasião.

A BMI se pronunciou via Deadline, informando que a organização licencia milhões de canções e seu catálogo pode ser utilizado em campanhas políticas até que haja manifestação do autor desautorizando o uso.

Com sua política conservadora, Trump não é bem visto em muitos círculos artísticos e roqueiros e os Rolling Stones estão longe de serem os únicos músicos a tentarem vetar o presidente dos EUA a usar suas canções. O Ultimate Classic Rock até fez uma lista:

  • Guns’n’Roses
  • Neil Young
  • Ozzy Osbourne
  • Aerosmith
  • Dee Snider (do Twisted Sister)
  • Brian May e o Queen
  • REM
  • Elton John
  • Paul Rodgers (do Free e Bad Company)
  • As herdeiras de Tom Petty
  • Os herdeiros de Prince
  • Os herdeiros de George Harrison (dos Beatles)

Os Rolling Stones surgiram em Londres em 1962 e se mantêm ativos até hoje. A banda realizaria uma grande turnê pelos EUA caso não fosse interrompida pela pandemia mundial da Covid-19. Há também a possibilidade do grupo lançar um novo álbum em breve. O conjunto lançou uma canção inédita sobre o isolamento social há alguns meses, Living in a ghost town. (Veja aqui).