O mundo capitalista e a ânsia dos fãs criam situações que são inacreditáveis de tão insensíveis. O ator Chadwick Boseman comoveu o mundo com sua morte no dia 28 de agosto passado, após uma longa e secreta luta contra o câncer e, agora, enquanto o ídolo de milhões de pessoas no mundo sequer foi enterrado (nos países anglo-saxônicos há a tradição de funerais com maior intervalo de tempo em relação à morte do que aqui no Brasil, onde o sepultamento é quase imediato) já há intensa discussão sobre o que fazer com a franquia do Pantera Negra da qual Boseman era a estrela: deveriam substituí-lo por outro ator? Como nas HQS, sua irmã Shuri (Letitia Wright) deveria assumir o manto do protetor de Wakanda?

Pantera Negra.

Gente, o que é isso? O cara acabou de morrer!

Usando uma expressão péssima e desrespeitosa, “o cadáver sequer esfriou”!

Pelo menos um representante não identificado da Disney – empresa mãe da Marvel – disse ao The Hollywood Reporter que não é hora para pensar em que medida será tomada e que eles estão preocupados no momento em lamentar a morte e homenagear Boseman. É mais respeitoso do que o que os fãs estão fazendo.

Claro que todo mundo se questiona, num momento ou outro, o que será da franquia do Pantera Negra nos cinemas, depois do longa ter virado um fenômeno cultural quando lançado em 2018, ter arrecadado US$ 1,35 bilhões e ter sido indicado a Melhor Filme no Oscar 2019, levando para casa três estatuetas: Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora.

Mas daí a transformar essa angústia e dúvida em um debate público, ainda mais, um debate público sério, é algo muito precoce. Inadequado até.

Claro, pode ser visto como um reflexo do mundo acelerado e imediato das mídias sociais. Mas vale a reflexão.

Ainda segundo o THR, uma fonte anônima próxima a Boseman afirmou que o Marvel Studios, incluindo o presidente Kevin Feige, não sabiam da luta do ator contra o câncer, algo que ele preferiu manter em segredo à exceção de membros muito próximos de sua família. O comunicado complementar da outra fonte diz que o estúdio ainda irá esperar algum tempo antes de decidir o que irá fazer daqui em diante.

O THR retomou três casos clássicos de franquias multimilionárias que viram a perda de um ator entre seus filmes, como Carrie Fisher em Star Wars; Paul Walker em Velozes e Furiosos; e Health Ledger em Batman – O Cavaleiro das Trevas; mas é importante pensar que em cada um dos casos não se tratava do ator principal da franquia como é o caso de Boseman.

Pantera Negra 2 tinha a data de estreia prevista para 06 de maio de 2022 e era esperado que a produção se iniciasse na Austrália em março do ano que vem. A fonte do THR diz que Boseman esperava vencer o câncer e ganhar peso para cumprir o cronograma, inclusive, com sua preparação para o personagem estava agendada para iniciar este mês de setembro.

Sem saber que o ator estava doente, o diretor Ryan Coogler estava trabalhando no roteiro ao longo dos últimos 12 meses (o HQRock anunciou que o diretor havia iniciado o trabalho em outubro de 2019) e vários rumores surgiram sobre a trama (o mais forte envolvia o vilão Doutor Destino, como você pode ver neste post).

Chadwick Boseman nasceu na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, e morreu vítima de um câncer no cólon com apenas 43 anos de idade. O ator descobrira a doença já em estado avançado (nível 3) em 2016 e passou os últimos quatro anos combatendo a doença e fazendo quimioterapia ao mesmo tempo em que sua carreira decolava.