Com muita tristeza, foi confirmado pelas redes sociais oficiais dos Rolling Stones a morte do baterista Charlie Watts, de 80 anos. Recentemente, havia sido anunciado o afastamento temporário de Watts para a próxima turnê do grupo pelos EUA, por causa de um procedimento de saúde não especificado ao qual seus médicos recomendaram um período de recuperação maior. Mas o comunicado dos Stones anuncia que o músico faleceu na manhã de hoje, em um hospital de Londres.

Durante o anuncio de que o baterista Steve Jordan, usual colaborador da banda e seus membros, o substituiria, o próprio Watts havia dito que preferia esse caminho:

Dessa vez, meu tempo está um pouco errado. Estou trabalhando duro para ficar em forma, mas hoje eu tive que aceitar o conselho dos especialistas de que isso irá demorar um tempo. Depois de tudo o que os fãs sofreram por causa da Covid, eu realmente não queria que os muitos fãs que estão segurando os seus ingressos para essa turnê ficarem desapontados com outro adiamento ou cancelamento.

Ainda não há um comunicado da banda sobre a turnê, cujos ensaios começariam por esses dias.

Charles Watts nasceu em 02 de junho de 1941, em Bloomsbury, em Londres, e começou a carreira de baterista ainda na adolescência, tocando em bandas de jazz e blues, antes de tocar com a banda The Blues Incorporated, em 1961, no interior do qual conheceu os colegas que fundaram os Rolling Stones, banda para qual entrou em 1963 e da qual participou de todos os álbuns lançados.

Não foi confirmado qual o problema de saúde motivou a intervenção – presumivelmente, uma cirurgia – que o impossibilitou participar da turnê, mas ao qual se anunciou que havia sido (a intervenção) bem sucedida. Pelo comunicado, Watts estava no hospital, cercado de sua família quando morreu hoje cedo.

Os Rolling Stones completariam 60 anos de atividades no ano que vem.