O mundo do rock foi surpreendido esta madrugada com a notícia da morte de Taylor Hawkins, baterista do Foo Fighters, em plena turnê pela América do Sul. O músico foi encontrado morto em seu quarto de hotel apenas horas antes de um concerto em Bogotá, na Colômbia. A causa da morte não foi revelada, ainda.

O Foo Fighters estava em turnê pela América do Sul e tinha feito um show no Lollapalooza da Argentina, e iria se apresentar no Festival Estéreo Picnic em Bogotá ontem (sexta-feira) e teria um show no Brasil, no Lollapalooza, no domingo. A banda cancelou os shows e o restante da turnê.

As primeiras notícias do ocorrido vieram da organização do Estéreo Picnic, que comunicou ontem que o Foo Fighters estava cancelando o show e o restante da turnê por causa de uma grave emergência médica. Somente tarde da noite no horário dos Estados Unidos (madrugada no Brasil), a banda emitiu um comunicado oficial em suas redes sociais:

A família Foo Fighters está devastada pela trágica e prematura perda de nosso amado Taylor Hawkins. Seu espírito musical e risada contagiante irá viver conosco para sempre. Nossos corações estão com sua esposa, filhos e família, e pedimos que sua privacidade seja respeitada com o máximo de respeito nesse período de dificuldade inimaginável.

A organização do Lollapalooza Brasil também se manifestou sobre a trágica morte:

Estamos absolutamente devastados pela perda do nosso amigo Taylor Hawkins. Não há palavras para descrever o que ele significou para nós e para todos os fãs de música ao redor do mundo. Nosso amor e apoio incondicionais vão para sua família, o Foo Fighters e toda a sua equipe.

Taylor Hawkins nasceu em 17 de fevereiro de 1972 em Forth Worth, no Texas, mudou-se com a família para Laguna Beach na Califórnia quando tinha quatro anos de idade, e formou sua primeira banda ainda no colégio. Após se apresentar na banda da cantora Sass Jordan, ele ganhou notoriedade como parte da banda de turnê da cantora Alanis Morissette, em junho de 1995, para promover o álbum Jagged Little Pill, que fez um enorme sucesso. Após dois anos ao lado de Alanis, ele ingressou no Foo Fighters, em 1997.

A banda havia sido fundada por Dave Grohl em 1995, porém, o primeiro álbum do grupo, homônimo, foi gravado como uma demo e trazia Grohl – que tinha sido o baterista do Nirvana, cujas atividades se encerraram em 1994 com o suicídio de Kurt Cobain – tocando todos os instrumentos. Em 1997, o Foo Fighters gravou seu segundo álbum (o primeiro como uma banda de verdade), mas Grohl não ficou satisfeito com o trabalho do baterista William Goldsmith, e decidiu refazer as partes de bateria, o que levou Goldsmith a se demitir do grupo.

Grohl e Hawkins – dois bateristas que também cantavam, compunham e tocavam guitarra – se conheceram em meio às turnês cruzadas do Foo Fighters e de Alanis Morissette, e um vínculo imediato se estabeleceu entre eles. Quando vazou a notícia da saída de Goldsmith da banda, Hawkins telefonou para Grohl e se colocou à disposição para segurar as baquetas.

Ele assumiu a bateria a partir da turnê de divulgação de The Color and the Shape, em 1997, o álbum que colocou o Foo Fighters no mapa do rock mundial, após a boa recepção do anterior. Hawkins estreou em estúdio no terceiro disco, There is Nothing Left to Lose (1999), embora depois tenha admitido em entrevista à revista Rolling Stone que tocou apenas em metade do disco, pois teve dificuldade de se adaptar à precisão do trabalho em estúdio. Grohl novamente tocou bateria na outra metade do disco. Hawkins destaca a faixa Aurora como a primeira que gravou na banda. O primeiro álbum em que Hawkins assumiu a bateria totalmente em estúdio foi o seguinte, One by One (2002).

Foo Fighters
Dave Grohl à frente do Foo Fighters

Também em 2002, Hawkins quase morreu de uma overdose, algo que ele depois declarou ter mudado sua vida. Dali, ele largou as drogas e passou a ter uma postura mais ativa dentro da banda, inclusive, gravando composições suas, nas quais assume os vocais principais, como Life of illusion, Cold day in the sun e Sunday rain. Nos shows, o Foo Fighters também passou a criar uma sessão no meio dedicada a covers de bandas famosas de rock, onde normalmente Hawkins assumia os vocais e Grohl ia para a bateria.

Em paralelo ao Foo Fighters, Hawkins manteve várias atividades musicais complementares. Sua banda Taylor Hawkins and the Coattail Riders, na qual canta e toca guitarra, lançou três álbuns; montou o projeto The Birds of Satan, que lançou um álbum em 2014 de rock progressivo; e também fez shows com a banda Chevy Metal, dedicada a fazer covers de rock pesado; além da banda NHC, ao lado de Dave Navarro e Chris Chaney.

O Foo Fighters (e Hawkins) foram agraciados com o Rock and Roll Hall of Fame em 2021.

Taylor Hawkins gravou 11 álbuns com o Foo Fighters, incluindo aí o ao vivo Skin and Bones e o EP Saint Cecilia. Além de terem lançado o álbum Medicine at Midnight, em 2021, a banda lançou o projeto Dee Gees, no qual tocam canções de Disco Music em modo rock, uma brincadeira para o Record Store Day no ano passado. Também lançaram o filme de comédia-terror Studio 666. Ele tinha 50 anos de idade.

Em 2014, o HQRock publicou um post com a Discografia Completa do Foo Fighters até aquele momento. Confira aqui.