Rapaz, parece que as coisas não vão bem com Ezra Miller, o ator conhecido por interpretar o Flash em Liga da Justiça e no vindouro filme solo do velocista escarlate da DC Comics. Na última terça-feira, dia 29 de março, foi noticiado que o ator foi preso após arrumar confusão e assediar pessoas em um bar em Hilo, no Havaí. Agora, em outro episódio, Miller, após ser solto mediante fiança, recebeu uma ordem restritiva após ser acusado por um casal de roubo e ameaça de morte.

Primeiramente, domingo passado, Miller estava em um bar no Havaí e começou a reclamar das apresentações de karaokê que aconteciam no estabelecimento. Segundo informes da People, citando um comunicado oficial da polícia do Havaí, o ator de 29 anos foi preso e processado por conduta desordeira e assédio em dois incidentes relacionados no mesmo local. Segundo as autoridades, Miller ficou agitado e incomodado com as apresentações de karaokê e começou a gritar impropérios e obscenidades; para depois, tomar o microfone de uma mulher de 23 anos e se jogar em cima de um homem de 32 anos que jogava dardos.

A polícia diz que o dono do bar solicitou que Miller baixasse a voz e se aquietasse várias vezes, sem sucesso. A polícia foi chamada por volta das 23h30 e o ator foi preso, ficando sob custódia até pagar uma fiança de US$ 500,00. A People tentou falar com os representantes de Miller e da polícia, mas não obteve resposta.

Mas não é só isso. Segundo o Radar Online (via CBM), após ser libertado pela polícia, Miller continuou causando confusão. Ele assediou um casal com o qual dividia uma casa em Hilo, arrombando a porta do quarto do casal, gritando que iria “matar” o marido “e sua esposa vagabunda” e ainda teria roubado uma carteira com cartão de seguridade social (o equivalente ao CPF dos EUA), passaporte, carteira de motorista e cartões de banco dos suplicantes.

Em resposta às acusações, o Departamento de Polícia do Havaí espediu uma ordem de restrição contra o ator em favor do casal, que pediu para que seus nomes não fossem revelados.

E ainda tem mais… Miller já havia se envolvido em um episódio de agressão no dia 01 de abril de 2020, na saída de um bar em Reykjavik, na Islândia, quando após ter criado uma confusão no recinto, saiu à rua e agrediu uma fã pelo pescoço, derrubando-a no chão, num gesto que foi filmado e colocado nas redes. Na época, apesar de noticiado, o evento não causou muita repercussão e não houve esclarecimentos por parte de Miller ou da Warner Bros.

Além de ter realizado The Flash, o filme solo do herói que foi recentemente adiado de julho deste ano para o ano que vem, Miller também atua na franquia de Animais Fantásticos, também da Warner, que deve estrear seu terceiro filme em abril próximo.

Com três episódios de violência tão recentes, há de se pensar que há algo errado com Miller e talvez a Warner e os fãs devam se preocupar com o estado de saúde mental do ator. E com o risco que ele oferece às pessoas que estão ao seu lado.

E isso é mau, quando The Flash é a grande aposta da Warner para criar um novo momento no DCU após o fiasco de Liga da Justiça e a tentativa de criar um universo conectado de filmes dos personagens da DC Comics.

Estamos atentos aos desdobramentos…