A banda Queen é uma das mais populares atrações do rock na atualidade, em especial depois do lançamento da cinebiografia Bohemian Rhapsody, alguns anos atrás, mas mesmo antes disso. Tendo encerrado as atividades oficialmente em 1991 com a morte do vocalista Freddie Mercury – existe um tipo de spin-off do grupo em atividade – o Queen se manteve na memória do público com suas grandes canções, a qualidade vocal e carisma de Mercury e uma sonoridade peculiar que mistura elementos do rock pesado com a ópera e momentos mais pop.

Tudo isso deve contribuir para que o grupo seja o primeiro ato britânico a bater o recorde de mil semanas nas paradas britânicas, segundo o próprio site da Official Charts, com o álbum Greatest Hits, de 1981. O disco continua popular mesmo tendo sido lançado há mais de 40 anos e até de ter um sucessor (o Greatest Hits II, lançado após o fim do grupo), tanto que nesta semana a coletânea está nada menos do que na 18ª posição do ranking dos álbuns mais vendidos, ou seja, dentro do disputadíssimo Top20!

Apenas outros dois álbuns conseguiram a proeza de se manter mil semanas nas paradas dos 100 álbuns mais vendidos do Reino Unido e ambos têm mais ou menos a mesma idade de Greatest Hits do Queen: a coletânea Legend de Bob Marley & The Waillers (computando 1.032 semanas) e a também coletânea Gold: The Greatest Hits do ABBA (com 1.048 semanas).

O Greatest Hits do Queen chegou ao número 1 das paradas britânicas quando foi lançado em 1981 e permaneceu naquela posição por quatro semanas, reunindo as principais canções da primeira metade da carreira do grupo, já que seu primeiro álbum é de 1972; reunindo assim, faixas como Bohemian rahpsody, Killer queen, Somebody to love, We are the champions, We will rock you e Love of my life.

A coletânea marcava, na verdade, uma virada na carreira do grupo, que se afastava do hard rock que era sua base até então em rumo à uma sonoridade mais pop, ainda que com bastante qualidade. O Queen manteve lançando álbuns de bastante sucesso nos anos 1980, como The Works, A Kind of Magic e The Miracle, se apresentou de maneira apoteótica no Live Aid, em 1985, e viveu uma turnê de consagração global em 1986 antes de se recolherem exclusivamente aos estúdios de gravação e videoclipes por causa da doença de Mercury, que contraiu o vírus HIV e manteve em segredo do público até praticamente o final.

O HQRock tem um especial com a Discografia Completa do Queen e uma análise de sua trajetória, confira neste link.