A Pollstar divulgou a arrecadação de 2018 das principais turnês musicais no planeta e alguns grandes nomes do rock estão no Top 10 das maiores excursões do ano: Roger Waters, U2 e Rolling Stones.

O trio citado ocupa as posições 8, 9 e 10 do ranking anual, enquanto o restante é quase totalmente formado por grandes nomes daquilo que é genericamente chamado de música pop: 1º lugar – Ed Sheeran; 2 – Taylor Swift; 3 – Jay-Z e Beyoncé; 4 – Pink; 5 – Bruno Mars; e 7 – Justin Timberlake.

A exceção é a banda The Eagles, que aparece na sexta posição. Famosos no mundo todo apenas por um único hit, Hotel California, os Eagles são bastante apreciados nos EUA, o que justifica sua arrecadação de US$ 166 milhões em shows em 2018.

Roger Waters.

O cantor e compositor Roger Waters, ex-líder da banda Pink Floyd, aparece no 8º lugar, com US$ 131 milhões, sendo o primeiro artista de rock da lista que tem expressão mundial (o Eagles é um caso isolado). O melhor é que Brasil está na conta de Waters: o músico passou pelo país no mês de outubro e causou polêmica por suas declarações políticas contra o fascismo.

Estar nesta boa posição no ranking é bastante singular, pois embora estivesse divulgando um álbum solo, e a turnê Us + Them fosse calcada em boa parte no repertório do Pink Floyd – banda que deixou em 1985, mas que até então fora o líder e o principal compositor – poderíamos dizer que Waters não teria sucesso o suficiente para tal empreitada. O que só mostra que seu disco e sua posição política repercutiram nos últimos tempos e, mesmo que não fossem a motivação principal da maioria do público para ir aos seus concertos, com certeza lhe deram mais visibilidade. E quem ganha é o público!

O U2 vem em 9º lugar, com 126 milhões de dólares, o que não é uma surpresa, pois a banda irlandesa de Bono Vox e The Edge é uma das maiores bandas “de repertório” da atualidade, ou seja, artistas que podem não fazer mais tanto sucesso hoje quanto já fizeram no passado (recente?), mas sem mantém relevantes e têm suficiente quantidade de hits para mantê-los no topo.

Os Rolling Stones tocam Come Together dos Beatles.

Fechando o Top10, vem os Rolling Stones. Com mais de 50 anos de carreira e tendo lançado um álbum com covers de Blues em 2016, o grupo de Mick Jagger e Keith Richards acumularam US$ 116 milhões em 2018, num ano em que fizeram shows apenas na Europa e mercados da Ásia.

Isso é bastante impressionante, pois a conta dos Stones exclui totalmente os EUA, que é o maior mercado de shows do mundo. A banda fez sua última turnê no país em 2015 e um concerto isolado lá em 2016 no Desert Trip Festival. Voltam ao país em 2019. E passaram no Brasil em 2016.

Uma coisa que a conta das turnês chama a atenção é a imensa diferença entre os primeiros lugares e os demais do ranking, o que demonstra uma ausência de concentração. Ed Sheeran arrecadou US$ 432 milhões e o segundo lugar, Taylor Swift já cai para 345 milhões, com o terceiro já na casa dos 200.

Por outro, refletindo a vendagem de discos, o rock perde cada vez mais espaço. E por mais que seja sensacional ter clássicos como Roger Waters e Rolling Stones e veteranos como o U2 (e o Eagles) na lista, é triste ver que nenhum nome do cenário atual (ou da década passada) ter fôlego e potência para povoar o Top 10 das maiores turnês de 2018.